• Matheus Fonseca

Intraempreender é ir além da palavra bonita

Hackear o sistema de dentro para fora, para melhorar o ambiente de trabalho e a sociedade, é abraçar múltiplos desafios. Neste sentido, aponto quatro dicas valiosas para viver o intraempreendedorismo na prática



Intraempreender, uma palavra bonita e um pouco difícil de definir, visto a quantidade de possibilidades e de características que são subentendidas nessa única palavra. Para facilitar minha reflexão, escrevi essa palavra em uma folha e fui, aos poucos, criando conexões com outras que a definem, formando minha própria teia de palavras. Alguns destaques:

  • Gerar mudança, é entender o contexto em que você está inserido(a) e abraçar os ajustes que precisam ser feitos para guiá-los ativamente;

  • Resolver problemas. Mais do que fazer algo incrível aqui ou ali, quem está intraempreendendo está resolvendo dores todos os dias e tornando melhor o ambiente de trabalho;

  • Executar, colocar a mão na massa e tomar riscos todos os dias, independente de quão grande ou assustador ele seja.

Em resumo, pessoas que estão intraempreendendo não necessariamente estão criando áreas, liderando novos produtos ou verticais dentro dos seus ambientes (podem também). No entanto, em sua essência, são pessoas que estão, de dentro para fora, hackeando todo e qualquer sistema para tornar o ambiente muito melhor do que encontrou.


Tudo são flores?


E será que é fácil fazer isso? Usar essa palavra nos dias de hoje gera um certo glamour, é quase que um distintivo de reconhecimento. Todavia, não é uma tarefa simples de ser feita e precisamos ter cuidado com todo o glamour e floreio que damos para esse termo. Intraempreender é ótimo para tornarmos nossa sociedade e nossos negócios cada vez melhores, mas trata-se, vale alertar, de um desafio muito complexo.


Basta refletir um pouco sobre aquele momento que você, dentro da sua empresa, questionou um processo, criticou um projeto de maneira assertiva ou trouxe dúvidas sobre os objetivos da área ou empresa. Provavelmente você recebeu olhares tortos, medo e outras várias dúvidas como retorno, ao invés do aclamado “você está certo(a), bora ajustar”.


Vai ser difícil e estressante intraempreender algo em qualquer lugar, mas é necessário que isso aconteça cada vez mais em todos os setores, áreas e ambientes da nossa sociedade. Precisamos de gente jogando o jogo para mudar as regras que conhecemos. Contudo, precisamos que essas pessoas estejam em campo e entregando muitos resultados.


Por isso aproveito esse espaço para fazer praticamente um chamado, um convite às pessoas que estão incomodadas com algo no seu ambiente, que já tiveram desejo de jogar tudo fora e começar de novo, que discordam da estratégia da área ou da empresa. Por favor, não desistam. Trabalhem muito, estudem mais ainda e entreguem resultados para mudar cenários e situações que, aparentemente, eram insuperáveis.


Algumas dicas que podem ajudar


Para tentar ajudar nesse processo, tentei refletir sobre minha jornada para trazer aqui quatro dicas que considero essenciais para pessoas que estão, de alguma forma, tentando hackear o sistema de dentro para fora com objetivo de intraempreender uma empresa, área ou uma sociedade melhor:


1. Face the brutal facts

Quando estava no início da minha jornada na Movile, aprendi essa lição da melhor maneira possível: na prática. Eu pensava que tudo que estávamos fazendo era incrível e que o caminho estava traçado, até ter uma reunião com a diretora da área onde ela basicamente questionou tudo aquilo que pra mim era maravilhoso. Ficou claro pra mim, através das falas dela, que era necessário parar de fugir do problema. Nós tínhamos algo que precisa ser resolvido e o primeiro passo era encarar esse problema e entender de onde ele havia surgido. Ficar “com dedos” para evitar um conflito não traz resultado, é necessário falar sobre o que está ruim e o que não deu certo.


2. Use incômodo como combustível

Falar sobre problemas não é uma tarefa simples e não dá para afirmar que é extremamente agradável. Provavelmente, logo após encarar o problema, você ficará bastante incomodado ao perceber que aquilo tudo é verdade, que o que você está fazendo ou vivendo não é tão incrível assim e que você só estava empurrando ele pra frente. E sabe o que você precisa fazer? Usar esse sentimento todo para dar os primeiros passos. Não tem nada mais instigante para alguém que quer intraempreender do que o incômodo ou inconformismo com algo que não está bom.


3. Priorize o problema e mostre resultados

Mas calma, não é o momento de sair fazendo centenas de coisas ao mesmo tempo porque ficou incomodado. Quem quer gerar uma mudança precisa ter uma cabeça essencialista, como é explicado no livro “Essencialismo” do Greg McKeown. Se você utilizar toda sua energia e incômodo para resolver dez coisas, provavelmente todas atingirão um resultado mediano. Mas se você focar sua energia para resolver um problema maior, provavelmente os resultados serão transformadores.


4. Transforme ansiedade por crescimento em ânsia por resultado

Todos nós, em maior ou menor grau, sofremos de ansiedade todos os dias. Ficamos pensando sobre o que virá pela frente, sobre quando seremos reconhecidos, promovidos ou receberemos um novo desafio. Mas ansiedade por esses próximos passos ou acontecimentos não traz mudança. Precisamos de alguma forma aprender a transformar isso em ânsia por resultado. Não tem nada melhor do que os resultados para te fazer crescer e transformar o seu ambiente.


Precisamos de intraempreendedores


Durante esses quatro anos que estou na Movile, muitas coisas aconteceram. Nós transformamos a forma como fazíamos atração de talentos, ganhamos diversos prêmios, criamos programas que são referências no Brasil, demos passos enormes em atrair pessoas diversas para nossas empresas e levantamos diversos temas de recursos humanos. Além disso, criamos uma organização social que usa tecnologia para dar oportunidades para jovens socialmente vulneráveis e já está impactando milhares de jovens.


Tudo isso só foi possível por ter, ao meu lado, pessoas com um forte perfil intraempreendedor. Esse perfil é composto por muita resiliência para suportar e superar os baques, alta capacidade de tomada de risco, muito foco em execução e entrega, e uma agilidade absurda de aprendizado.


Fica aqui o meu reforço e o meu chamado, precisamos de pessoas intraempreendendo em todos os ambientes, áreas, setores e lugares para que, em alguns anos, tenhamos um Brasil melhor de maneira holística.